Séries e Filmes #janeiro

Aqui contamos as séries e os filmes que vimos no mês e a novidade boa é que essa categoria vai virar vídeo! Não deixem de acompanhar!!

Star Wars – O Último Jedi

Um dos filmes mais esperados de 2017 entrou para as telonas em dezembro e ainda está disponível nos cinemas. Depois do sucesso do episódio 7, “O Despertar da Força” e de “Rogue One”, todos nós criamos grandes expectativas para o episódio 8, que acabaram não sendo atendidas da melhor forma.

Foi maravilhoso ver nossa amada princesa Leia em ação, em seu último filme em vida (com tanta tecnologia não duvidamos nada que a atriz apareça no próximo filme) e também o retorno de Luke. Ray finalmente começa seu treino para ser uma Jedi e ter controle da força, porém durante seu desenvolvimento ela descobre uma estranha conexão com Kylo Ren, o que faz com que ela acredite em poder trazê-lo de volta para a luz.

Enquanto o treinamento de Ray acontece, a Resistência está sendo seguida pelo General Hux e todos tentam escapar em pequenas naves de transportes para um planeta que era a antiga base deles. Ray decide se encontrar com Kylo Ren, para tentar converter o rapaz ao lado bom da força, porém o líder supremo, Snoke, acaba capturando Ray e tenta convencê-la a fazer parte do lado negro.

Kylo tem um momento de bondade e salva Ray, então os dois juntos enfrentam os guardas que estavam na sala do trono. Depois de derrotarem todos os guardas, Kylo tenta trazer Ray para o lado negro da força novamente, para que ela governe ao seu lado, mas Ray não sede ao seu pedido e consegue escapar para tentar ajudar a resistência.

Luke aparece no planeta em que a resistência está encurralada pelas tropas do general Hux e acaba enfrentando Ben Solo para ganhar tempo e permitir que Léia e todo o restante de sua tripulação consiga escapar. Ao final da luta, Luke desaparece, assim como aconteceu antes com seu mestre Obi Wan e com Yoda, e sua força também some junto ao seu corpo.

O filme, mesmo sendo bom, não teve um desenvolvimento interessante. No final das contas, não aconteceu nada de importante ou relevante durante o episódio 8. Ficamos sem saber o passado de Ray, quem ela é de verdade e porque possui tanto poder, sobre o líder supremo Snoke, também ficamos sem respostas e esperamos que o próximo filme possa nos dar essas informações que estamos loucas para saber.

Black Mirror

A tão aguardada 4ª temporada de Black Mirror estreou no final de 2017 e teve muitos picos altos e alguns baixos. A ficção britânica criada por Charlie Brooker e dirigida por várias outras pessoas fodas, tem como foco a tecnologia e continua assustadora e reflexiva, nos fazendo pensar até que ponto tudo isso irá chegar! Essa temporada conta com 6 episódios divididos em histórias distintas, mas que começam a trazer mais evidências (e milhares de teorias) de conexões entre episódios anteriores.

No primeiro episódio, “USS Callister”, (temos um post especial só sobre esse ep) um programador super inteligente, usa o DNA das pessoas que trabalham na empresa que ele ajudou a fundar para criar um jogo de realidade paralela, onde ele é o comandante poderoso e que manipula o jogo. Está avaliado como o melhor ep da temporada e é uma paródia de Star Treck. Em “Arkengel”, que é dirigido pela conceituada atriz Jodie Foster, temos a história de uma mãe que investe em uma tecnologia nova, que vigia as crianças de perto e controla o que elas podem ver e conhecer do mundo, gerando consequências drásticas na formação e na vida de sua filha. “Crocodile” nos mostra a vida de uma mulher com um passado obscuro que se envolve na investigação de um acidente, feita por uma companhia de seguros, através de uma máquina de memória, que mostra todas as lembranças em uma telinha e revela os seus segredos obscuros, fazendo com que ela saísse “apagando” qualquer evidência.

O 4º episódio, “Hang the DJ”, apresenta um aplicativo de relacionamentos, estilo Tinder, que mostra a “validade” de cada romance até que o par perfeito seja formado, enquanto isso, os casais ficam presos em uma realidade paralela e só são “libertados” quando casam. “Metalhead” nos mostra a luta pela sobrevivência de uma mulher em uma cidade devastada e vigiada por cães robôs sanguinários. Foi o episódio mais desnecessário da série até hoje. Para fechar, em “Black Museum”, uma menina visita um museu em uma cidade meio abandonada, onde encontra uma série de artefatos que vieram de uma espécie de freak show tecnológico, os quais o proprietário conta a história de cada um deles e como foram parar ali. O episódio é surpreendente e, mais uma vez, vemos com mais clareza a conexão com outros episódios.

No geral a temporada foi boa, com alguns episódios em destaque, porém também apresentou roteiros mais pobres e tramas mais vazias do que nas temporadas anteriores, de qualquer modo, Black Mirror continua maravilhosa e entre as nossas indicações preferidas.

Dark

Dark é uma série alemã de suspense, criada por Baran Bo  Odar e por Jantje Friese, que conta uma história de ficção cientifica sobre viagem no tempo. A trama é super envolvente e bem construída, o que levou as críticas a falarem super bem dessa nova série da Netflix.

A história se inicia quando, em 2019, alguns fatos estranhos começam a acontecer em Winden, uma cidade que abriga uma usina nuclear que já foi o ponto forte da economia local. Logo no primeiro episódio, temos uma cena de suicídio e que, a principio não sabemos o motivo, apenas que o homem que se matou era pai do jovem Jonas Kahnwald, personagem principal da série.

Apesar de cidade ser pequena e sem grandes acontecimentos, 3 jovens acabam desaparecendo sem deixar rastros, apenas se sabe que eles sumiram próximo de uma caverna que fica na floresta e era utilizada como ponto de encontro dos adolescentes. Jonas se sente culpado pelo desaparecimento de um desses jovens, que o acompanhou em uma  e começa a investigar a caverna, descobrindo que ela na verdade é um portal ou “buraco de minhoca” que faz ele viajar no tempo.

A série envolve suspense, assassinato e muita ficção cientifica, o que nos prende completamente e nos desperta curiosidade! Os episódios são bem trabalhados, com conexões entre passado, presente e futuro, com paralelos entre 2019, os anos 80 e os anos 50, deixando pistas para o telespectador tirar suas próprias conclusões. A trilha sonora e a fotografia completam a obra e nos deixa aguardando por uma próxima temporada!

The End Of The Fucking World

A série britânica The End Of The F***ing World é uma produção do Chanel 4 com a Netflix  e é criação de Jonathan Entwistle e Charlie Covell, com base na HQ de mesmo nome, de Charles Forsman. Conta com 8 episódios super rapidinhos, com cerca de 17 minutos cada, e é muito fácil de maratonar.

Muitas pessoas costumam dizer que algumas séries britânicas têm um certo toque peculiar de humor e, por isso, muita gente tende a não gostar, mas também há quem goste, como a Evee, e The End Of The Fucking World segue esse caminho ao mostrar uma história de amor incomum repleta de humor ácido e algumas bizarrices. James (Alex Lawther) é um jovem estudante que passou por alguns momentos pesados da vida e apresenta um comportamento diferente do comum, acreditando ser um psicopata assassino que encontrou sua primeira vítima humana, Alyssa (Jessica Barden), uma jovem doidinha, que também passa por alguns problemas com a família e, com isso, é super rebelde e impulsiva.

Os dois jovens acabam se unindo para tentar resolver os seus problemas, mas desenvolvem uma química boa, mostrando que se complementam. Ele complementa Alyssa, por demonstrar estar ao lado dela e a garota completa James, ao entender seu jeito particular de ser e ambos acabam desenvolvendo emoções até então desconhecidas a partir dessa relação maluca.

A fotografia é muito legal, parece clipe de banda indie. A trilha sonora também é ótima e algumas cenas tem um toque que nos lembram as produções do Tarantino, completam a série. Apesar dessa primeira temporada ter apresentado um final aparentemente conclusivo, estamos esperançosas por uma nova temporada.

O que vocês andaram assistindo nos últimos tempos? Contem pra gente nos comentários, pois adoramos conhecer séries novas!

0

Compartilhe


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *