Livro: Outros Jeitos de Usar a Boca

Sou amante dos livros de ficção, fantasia e terror. Sempre me joguei nesses gêneros e, até pouco tempo, não pensava em ler outras coisas, principalmente por estar (ainda estou) com uma lista longa de títulos pra ler aqui em casa. Isso mudou assim que vi e ouvi muitas pessoas comentando sobre um dos livros mais badalados de 2017 e que ficou no 1º lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times, o Milk and Honey que, no Brasil, recebeu pela editora Planeta o nome de Outros Jeitos de Usar a Boca, o que gerou reações adversas por aqui, de pessoas que se deixam levar pelas palavras antes mesmo de saber o seu conteúdo, enfim…

Rupi Kaur

Outros Jeitos de Usar a Boca é um livro super sensível, escrito por Rupi Kaur e quero falar um pouquinho sobre ela antes de seguir com a resenha da publicação. A Rupi é uma jovem feminista de 22 anos, artista e poetisa contemporânea, que nasceu na Índia, mas vive no Canadá desde os 5 anos. Ela escreve de uma forma extremamente tocante e intensa, que nos faz usar os sentidos ao ler os seus poemas. Rupi se tornou muito conhecida no universo online, por quebrar tabus e empoderar as mulheres de diversas formas, tomadas como polêmicas pela sociedade e que tiveram forte repercussão, principalmente nas redes sociais. Em 2014, Rupi publicou o seu primeiro livro, Milk and Honey e passou a inspirar um numero ainda mais de pessoas.

Outros Jeitos de Usar a Boca

Como eu comentei ali em cima, o livro é muito sensível e tocante e a autora usa uma linguagem bastante delicada e ao mesmo tempo intensa para falar sobre sobrevivência, as dores da vida, amor, sexo, feminilidade, perda, trauma, abuso e cura. Ele é dividido em quatro partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura, que mostram um pouco sobre os sentimentos e momentos que muitas mulheres acabam passando ao longo da vida, o que acabou fazendo com que eu me identificasse com muitos dos poemas.

Os poemas foram criados a partir de relatos que Rupi passou a receber de seus leitores, o que torna tudo mais interessante e quase tangível, porque foram realmente baseados em experiências reais de traição, maus tratos, hostilidade, auto estima e outras formas de relações e vivências reais.

A leitura é bonita, apesar de tratar de temas dolorosos e delicados. A emoção e os sentimentos acabam entrando em primeiro plano e o livro todo é reflexivo. E eu pude sentir esse mix de emoções enquanto lia e também a intensidade empregada em cada um dos poemas. Na primeira parte, me emocionei muito e ela me fez pensar em mim e em várias pessoas que conheço, por retratar relações familiares, auto estima, escolhas erradas, insegurança e outros temas dolorosos. Na segunda, consegui ver ainda mais de perto, que existem diversas formas de amar e diversos amores e amei, junto com a escritora, em cada um dos poemas. Na terceira parte, fiquei com a sensação de que precisava entrar nas páginas do livro e ajudar àquelas pessoas que estavam vivendo momentos cheios de mágoas. Na quarta e última parte, o que eu senti pode soar um pouco clichê, mas vi que tudo pode ter uma reviravolta e que as dores podem ter cura e, muitas vezes, ela está dentro de nós.

As ilustrações também são da Rupi Kaur e têm um toque todo pessoal. Elas complementam o livro e nos levam exatamente ao mundo e ao momento nos quais os poemas querem que estejamos.

Minha experiência com essa leitura foi maravilhosa, primeiro por me fazer voltar a ler poemas, coisa que não fazia desde a adolescência, segundo, porque me senti uma mulher mais real, mais viva, mais confiante e mais mulher do que nunca e terceiro e muito importante, me vi realmente empoderada e não só pelo empoderamento estar em alta (tks God que está!), mas porque senti que o livro trouxe inspirações novas pra minha vida e passei a pensar nas mulheres que podem ter vivido algumas experiências dolorosas, mas que foram forte o bastante para encontrar a cura.

Percebi o quanto é importante se conhecer, conhecer suas escolhas e se sentir bem consigo, mas também fazer mudanças que ajudem nessa melhoria. Recomendo a leitura para todo mundo, independente do gênero, mesmo que o foco esteja nas mulheres, pois as palavras são marcantes e cheias de significado. Além de tudo é uma leitura super rapidinha, dá pra ler em um dia!

Termino o post deixando um dos poemas mais marcantes pra deixarem vocês com um gostinho de quero mais:

“você me diz para ficar quieta porque
minhas opiniões me deixam menos bonita
mas não fui feita com um incêndio na barriga
para que pudessem me apagar
não fui feita com leveza na língua
para que fosse fácil de engolir
fui feita pesada, metade lâmina metade seda
difícil de esquecer e não tão fácil
de entender”

Outros Jeitos de Usar a Boca
208 págs.
Poemas
Editora: Planeta
Escritora: Rupi Kaur
Tradução: Ana Guadalupe
5ª edição
Comprar: AmazonLivraria CulturaSaraiva 

 

0

Compartilhe


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *