Halloween: Minhas bruxas preferidas do cinema

O Halloween está chegando e eu sempre amei muito a data e todas as comemorações que a envolvem. Além da festa americana com as fantasias, abóboras e etc, essa época tem base nas festas pagãs celtas, pelas quais eu sempre me interessei muito.

Para celebrar o Dia das Bruxas nós fizemos alguns posts especiais, porque realmente gostamos muito dessa época e eu vou começar falando sobre alguns filmes dentro do assunto que trouxeram para o cinema bruxas como personagens fortes e relevantes:

Sara, Nancy, Bonnie e Rochelle – Jovens Bruxas

Já falei sobre Jovens Bruxas em um outro post, então da pra notar que eu adoro mesmo, né? Ele realmente marcou minha adolescência e de muitas outras pessoas, tenho certeza! E esse grupo de amigas era meu sonho na época!

O filme é um longa de 1996 e conta a história de Sara (Robin Tunney), uma jovem adolescente que precisa mudar de cidade e, consequentemente, de escola, onde ela conhece outras 3 garotas, Nancy (Fairuza Balk), Bonnie (Neve Campbell) e Rochelle (Rachel True), das quais ela se aproxima e faz amizade. As garotas tem interesse pela magia e se aprofundam no assunto, assim, Sara descobre que tem uma espécie de magia natural em si. Juntas, elas formam um Coven (grupo de bruxos e bruxas), onde invocam os elementos e praticam a doutrina da magia. Tudo corre bem entre elas, até que decidem se envolver com magia pesada, o que faz com que conseigam várias coisas que desejam, porém, com consequências terríveis.

Ao notar que as coisas estavam saindo do controle, Sara decide se afastar das meninas, causando um forte desequilíbrio em suas vidas e no Coven e todas precisam passar por fortes momentos de tensão para tentar ajeitar as coisas.

O filme é uma ficção baseada na cultura da Wicca e traz bastante referências a esse mundo, com algumas adaptações. Também aborda dilemas da vida dos adolescentes como relacionamentos, aceitação e preconceito. Uma das coisas que mais gosto em Jovens Bruxas, além da história, é a forma como as meninas se vestiam na época (anos 90 <3).

Morgana e Viviene – As Brumas de Avalon

Apesar de narrar a história do Rei Arthur, nesse filme, os acontecimentos são relatados sob a perspectiva feminista e empoderada de Morgana e de outras sacerdotisas de Avalon, um lugar místico e secreto, onde surgiu a religião da Deusa. A história acontece em meio a guerra religiosa em Camelot, que tinha como objetivo unir cristãos e pagãos ou, caso contrário, eliminar ambos e, com isso, Avalon corria um sério risco de desaparecer.

No início, acompanhamos uma Morgana ainda criança, vivendo com sua mãe, Igraine (Caroline Goodall), que ainda era uma seguidora da antiga religião e praticava magia secretamente, enquanto seu pai, Gorlois (Clive Russell), lutava contra os saxões. As tias de Morgana também tem forte presença na história, Morgause (Joan Allen) é admiradora da magia e de Avalon, mas acabou não desenvolvendo tantos conhecimentos e prática no assunto e Viviane (Anjelica Huston) é a grã sacerdotisa de Avalon, que possui fortes poderes e muda o rumo das coisas quando prevê que o rei logo morrerá e que sua irmã, Igraine precisará gerar um novo líder, mas não com o marido e sim com um homem que possua o símbolo do dragão e seja seguidor da religião da Deusa. Apesar de ser contra, a mãe de Morgana acaba aceitando o seu destino em meio a manipulação da irmã, que alterou a linhagem para o surgimento de um rei que unisse tanto pagãos quanto cristãos e, assim, salvasse Avalon. Viviane pretende também transformar a sobrinha em sua sucessora e todos os seus atos impulsivos acabam gerando consequências na vida de todos, inclusive de Morgana.

O filme é de 2001 e foi desenvolvido especialmente para a televisão. Ele é baseado no livro de Marion Zimmer Bradley, que leva o mesmo nome, porém não é uma adaptação fiel, o roteiro foi bastante modificado e isso gerou muitas críticas negativas para o longa, mas eu gosto muito, por ser um filme medieval, pela história, que traz ao conhecimento das pessoas a religião da Deusa e pelas atrizes, que arrasam nas interpretações. As Brumas de Avalon não é necessariamente um filme de Halloween, mas acaba indo além disso, pois retrata acontecimentos anteriores que fizeram surgir a celebração.

Sally e Gillian Owens – Da Magia à Sedução

Esse também é um dos meus filmes preferidos dos anos 90 e um dos primeiros que me fez ter contato com o que é a prática da magia, me fazendo também me interessar pelo assunto e tudo isso de uma forma suave, engraçada e bonita, já que ele é uma comédia romântica baseada no romance de mesmo nome de Alice Hoffman, além de contar com um elenco maravilhoso.

O longa conta a história das irmãs Sally (Sandra Bullock) e Gillian (Nicole Kidman) Owens, duas jovens que são bruxas por tradição da família, mas que tem dificuldades de praticar magia nos tempos modernos e que precisam enfrentar uma maldição: todos os homens pelos quais elas se apaixonam ou tentam se relacionar, simplesmente morrem. A maldição foi lançada no passado, por Maria Owens, uma bruxa que foi exilada e condenada à execução, mas ainda tinha esperanças de que seu amor fosse resgatá-la, como isso não aconteceu, ela jogou o feitiço em si mesma, o que causou sua morte e fez com que todas as suas descendentes carregassem a maldição.

Após a morte dos pais, Sally e Gillian foram viver com as tias, que as ajudaram nas práticas de magia. Sally tenta levar uma vida mais normal e lança em si, um feitiço do amor verdadeiro para que possa se proteger e Gillian, mais impulsiva, decide se apaixonar. As irmãs fazem um juramento e seguem com suas vidas, Sally fica a cidade, se casa e constitui família, tendo duas filhas, mas a maldição acaba levando seu marido e Gillian vai para a Califórnia, onde inicia um relacionamento abusivo e acaba voltando para junto da irmã, mas seu namorado a persegue e ameaça a vida de ambas que, com isso, acabam cometendo um crime e usam magia para tentar consertar as coisas, mas acabam criando um perigo ainda maior. E então, surge Gary (Aidan Quinn), um policial que vem investigar o caso e que nota que as irmãs são pessoas diferentes e logo se encanta por Sally, que também acaba se apaixonando por ele. Gary é ferido e afastado, mas não chega a morrer e Sally entende que era ele a pessoa de seu feitiço do amor verdadeiro.

Para salvar a irmã, Sally recruta as mulheres da cidade que a ajudam a reverter a magia que fizeram antes e as colocaram em perigo e, com isso, formam uma espécie de Coven e quebram a maldição da família.

Elvira – Elvira a Rainha das Trevas

O filme de 88 já é mais do que um clássico e transformou Elvira em um ícone da Cultura Pop.

Elvira (Cassandra Peterson) não é uma bruxa comum, na verdade ela é uma apresentadora de um programa alternativo e de baixo orçamento sobre filmes de terror que descobre que herdou uma mansão e sua tia-avó, Morgana. Ela pensa em vender a velha mansão e se mudar para Las Vegas para se tornar uma estrela, mas acaba descobrindo fatos que podem mudar o rumo de tudo e uma outra herança, um livro de receitas que, na verdade, é um livro de feitiços que seu tio, Vicent Talbolt, quer roubar a qualquer custo.

Elvira é uma mulher linda, sedutora e independente, que usa roupas extravagantes, faz o que quer e é muito feliz, obrigada, mas ao ir para a pequena, tradicional e entediante cidade de Fallwell para receber sua herança, causa espanto em todos que não estão acostumados com o diferente e particular jeito da moça e a querem fora dali. Ao contrario dos cidadão mais conservadores da cidade, alguns jovens que não querem ser como seus pais, veem em Elvira uma chance de mudança e passam a idolatra-la e inicia-se um caos que acaba condenando a moça a fogueira, fazendo uma forte referência a inquisição.

Eu gosto muito da personagem, pela personalidade forte e por ela se manter quem é do início ao fim, independente da opinião e da reação das pessoas e o filme em si é muito interessante, apesar de objetificar a mulher para o espectador [o que fica ainda mais obvio nas cenas da dança e da quebra das correntes com os seios]. Ele traz reflexões plausíveis sobre o diferente e, principalmente, sobre as mulheres, que são e sempre foram, criticadas por usarem algum tipo de roupa que a sociedade julga ousada e por agirem de acordo com suas próprias vontades.

Talvez minha lista tenha sido meio surreal, rsrs, mas essas são as minhas bruxas preferidas do cinema. E vocês, também gostam de filmes que trazem bruxas como personagens principais? Qual é o preferido? Me contem nos comentários.

1

Compartilhe


3 thoughts on “Halloween: Minhas bruxas preferidas do cinema

  1. Adoro a temática de bruxas! Também está na minha lista os filmes Da magia a sedução e Jovens bruxas! Eu adoro os acessórios e no início da adolescência elas eram minha referência de feminino e de beleza, embora eu não tivesse seguido o estilo. Adorei a seleção e fiquei curiosa para conhecer o filme As brumas de Avalon. Aliás Charmed também foi fundamental na formação da minha personalidade. rs
    Adorei a seleção!
    Beijos

    http://www.vestidadeceu.blogspot.com.br

    1. Oi Bárbara,

      Menina, são muito bons esses filmes dos anos 90 sobre bruxas, né? Saudades! Também me influenciou super!
      E, nossa, Charmed era um vício, que bom encontrar mais alguém que gosta e foi formada por essa série <3
      Obrigada pela visita!

  2. Nossa gente, Jovens Bruxas é antigo assim? hahahaa to velha…é o filme que mais amo de Bruxas e, vi também da Magia a Sedução, achei bem legal e Elvira, cara, tem que ver né gente pelo amor…eu ri muito ahahahaha
    As Brumas de Avalon não vi ainda.
    Ameeeeei a listinha
    Bjs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *