Séries: O Senhor dos Anéis pela Amazon, o que esperar?

Quem já não leu os livros do Senhor dos Anéis e O Hobbit, assistiu aos filmes ou pelo menos já ouviu falar nesses títulos?

Senhor dos Anéis, A Série

Há poucas semanas surgiram rumores de que algumas companhias de audiovisual estariam disputando os direitos para a criação de uma série baseada na obra de J.R.R. Tolkien, O Senhor dos Anéis e, na semana passada a Amazon comunicou que será a responsável pela adaptação desse clássico e a série será transmitida em sua plataforma de streaming de vídeos, a Amazon Prime Vídeo.

Após diversos acordos e um alto investimento, a Amazon oficializou os diretos para a produção e exibição da série, que contará com várias temporadas, além de possíveis spin-offs.

Além da gigante Amazon, a Tolkien Estate and Trust, a editora HarperCollins e a New Line Cinema, que é responsável pelos filmes do “Senhor dos Anéis” também estarão envolvidas.

Ainda não foram revelados muitos detalhes, mas sabemos que a história se passará na Terra Média e trará acontecimentos anteriores ao filme Sociedade do Anel.

Nós como fãs não sabemos exatamente o que esperar.

De um lado rola uma expectativa alta de ver uma produção tão maravilhosa e cheia de detalhes a serem explorados em formato de série, onde poderemos acompanhar tudo de uma forma ainda mais próxima.

Por outro lado, ficamos com receio de como os fatos e todas as coisas descritas por Tolkien possam ser mostradas na produção, que vem para competir diretamente com Game Of Thrones.

Particularmente, eu espero que seja pelo menos tão boa quanto séries como Game Of Thrones e Vikings e que o elenco escalado seja de peso.

O serviço de streaming da Amazon já está disponível no Brasil e está com uma super promoção, onde os usuários podem experimentar  plataforma gratuitamente por uma semana, os próximos 6 meses serão R$ 7,90 e, após esse período, o valor passa a R$ 14,90.

O streaming conta com séries como Mr. Robot, Seinfeld, American Gods e The Man in High Castle, as duas últimas produzidas pela Amazon.

Quem mais está esperando pra ver como será essa série baseada em O Senhor do Anéis que promete ser um sucesso? Eu já li os livros e vi todos os filmes, então estou em dúvida se conseguirão fazer algo realmente espetacular que honre essa obra maravilhosa!

Eu e o Coffee estamos aguardando mais detalhes dessa novidade!

0

Séries e Filmes #novembro

Novembro foi um mês com muitas séries e filmes bons! Alguns começamos a assistir e ainda não terminamos, outras devoramos em poucos dias, então confira aqui no post tudo o que assistimos de séries e filmes.

Stranger Things – 2ª Temporada 

Uma das séries mais aguardadas do ano chegou com tudo na sua segunda temporada, dando continuidade ao mistério que rola na cidade de Hawkins. Stranger Things conseguiu manter aquele suspense da primeira temporada, mas com um pouco mais de humor, uma trilha sonora impecável e agora com alguns personagens novos.

A segunda temporada revela o que aconteceu de fato com Eleven depois do incidente da escola e também nos mostra como Will ficou após passar todo aquele trauma no Upside Down. Contamos também com alguns personagens novos, Kali uma “irmã” de laboratório de El que também possui poderes sobrenaturais, Max que é uma menina nova na cidade e ótima nos games, seu meio irmão Billy, um cara bem rock’n’roll mas no estilo valentão, provocando e desafiando todo mundo, por último temos o Bob, namorado de Joyce e que acaba fazendo um papel de herói.

O nosso quarteto favorito continua se metendo em missões super perigosas para proteger a cidade das terríveis criaturas do mundo invertido, para isso eles contam com a ajuda de Steve, que continua com seu taco de basebol personalizado para enfrentar essas feras. Nancy e Jonathan fazem uma gravação comprometedora de uma conversa com o Dr. Owens  e levam a fita para um jornalista divulgar e assim denunciar as atividades realizadas no laboratório em Hawkins.

Já deu para perceber que a segunda temporada está super agitada, com muitas novidades e ainda com mistério sobre as atividades do laboratório da cidade e sobre Eleven. Agora é segurar a ansiedade para ver a terceira temporada!!!

Mindhunter – 1ª Temporada

Baseado no livro de mesmo nome, Mindhunter mostra a origem do perfil dos serial killers, lá na década de 70, contando a história do negociador do FBI, Holden Ford, um jovem que possui uma forte curiosidade sobre os fatores psicológicos que levaram os criminosos a cometerem seus atos hediondos. Com isso, Ford acaba indo trabalhar no setor de Ciência Comportamental, junto ao experiente Bill Tench, que viaja o país ensinando outras autoridades a caçarem assassinos.

Depois de se estranharem e de alguma resistência do FBI, a dupla acaba se engajando em um estudo para traçar o perfil dos criminosos, avaliando casos terríveis e ficando cara a cara com perigosos e perturbados assassinos, incluíndo torturadores e estupradores, para entrevistas detalhadas sobre cada caso e sobre as motivações dos seus atos.

A série é um mergulho na mente humana, nos seus mistérios e complexidade, fazendo a gente refletir um pouco sobre nós mesmos, entender alguns traumas do passado e ver como cada indivíduo responde de uma forma diferente a essas situações da vida, podendo se tornar uma pessoa normal ou um psicopata.

The Sinner – 1ª Temporada 

Uma série baseada no livro de Petra Hammesfahr, conta com a atriz Jessica Biel no papel principal como Cora, uma mãe de família perturbada pelo seu passado e Bill Pullman como o investigador Ambrose, que quer entender e ajudar Cora.

A história começa com um assassinato na praia, a luz do dia e na frente de todos que estavam ali presentes. Cora, uma mãe tradicional, que está curtindo o dia junto com sua família, acaba surtando ao ouvir uma música que um casal apaixonado coloca em volume alto, ela acaba cometendo o assassinato e é presa em flagrante.

Como o crime não faz o menor sentido, o investigador Ambrose não consegue dar por encerrado o assassinato, então ele tenta juntar as peças da memória confusa de Cora e descobrir o que a motivou a cometer esse crime.

A série é legal, mas tem alguns pontos que não fazem muito sentido, como porque abrir uma investigação de um crime já resolvido? O investigador faz uns comentários bem sem noção e a série simplesmente termina de forma conclusiva para Cora, podendo não haver uma segunda temporada, ou trabalhar em uma segunda parte focada na história do investigador, que é mostrada de forma superficial, mas deixando a entender que há mistérios envolvidos.

Alias Grace

Adaptação do romance homônimo da grande escritora Margaret Atwood, escritora também de The Handmaid’s Tale, a minisérie original da Netflix nos mostra a história de Grace Marks (Sarah Gadon), uma jovem imigrante irlandesa, que chega ao Canadá no começo do século XIX e precisa trabalhar como criada para sobreviver. A moça, porém, é condenada a prisão perpétua pelo duplo assassinato de Nancy Montgomery (Anna Paquin) e Thomas Kinnear (Paul Gross), mas perde a memória e não consegue se lembrar dos fatos que acabaram por condená-la.

Dezesseis anos após sua condenação, Grace passa a ter consultas com o psicanalista Simon Jordan (Edward Holcrof), que precisa avaliar as lembranças da moça e seu comportamento para desenvolver um relatório a fim de atestar sua insanidade e a livrar da prisão perpétua, já que a sociedade não acredita 100% em sua culpa. Através das sessões com o médico, conseguimos acompanhar alguns flashbacks de momentos distintos da vida de Grace, com destaque para 3 situações, incluíndo o assassinato e, assim, vamos criando uma interpretação dos fatos, mas jamais uma certeza, pois as coisas passam a ser bastante dúbias.

Grace passou por diversas humilhações e abusos por parte de diferentes homens e, com isso, foi aprendendo a lidar com eles e obter o controle das situações, o que também lhe dá o controle das narrativas na série e nos mostra o quanto as mulheres eram tratadas de um jeito diferente dos homens pela sociedade. Margaret Atwood sempre utiliza de críticas sociais em suas obras, principalmente relacionadas às mulheres, assim como podemos ver em The Handmaid’s Tale e traz bastante reflexão sobre o assunto, que percorre séculos e séculos.

A ambientação da série, a fotografia e os figurinos são lindos e nos ajudam a acompanhar com mais precisão os fatos históricos. Quem gosta de Downtown Abbey e, claro, de The Handmaid’s Tale também pode vir a se interessar por Alias Grace, que é escrita e dirigida por Sarah Polley e Mary Haron.

Thor: Ragnarok

O terceiro filme do Rei do Trovão tem várias conexões com Dr. Estranho e Os Vingadores. Thor (Chris Hemsworth) parte em busca de reunir as Jóias do Infinito para que elas não caiam em mãos erradas e está do outro lado do universo enquanto acredita que seu pai, Odin (Anthony Hopkins), está comandando Asgard e ele precisa voltar logo para seu mundo para evitar os desastres de Ragnarok. Ao retornar ele se depara com seu pai agindo de forma absolutamente estranha e logo percebe que o trono foi usurpado por Loki (Tom Hiddleston) e os dois partem em busca do verdadeiro Odin. Enquanto isso, diversos fatores trazem de volta Hela (Cate Blanchett), a deusa da morte e irmã mais velha de Thor, que está em busca do trono que acredita ser seu, por direito, revelando ações do passado e agindo de forma cruel com o povo.

Com toda essa situação, Thor e Loki se veem obrigados a agir juntos mais uma vez e acabam parando no universo de Sakaar, comandado pelo Grão-Mestre (Jeff Goldblum), viciado em jogos e que transforma seu mundo em uma verdadeira arena. Thor é preso como combatente e precisa lutar contra o vencedor e favorito do Grão-Mestre, que acaba descobrindo que é o seu velho amigo verde, Hulk (Mark Ruffalo). Após resolver as coisas em Sakaar, Thor parte para Asgard contando com a ajuda de seus velhos e novos amigos, para acabar com a ira da poderosa Hela.

No geral o filme é muito bom (principalmente porque o Thor está sem peruca), mas tenta se fixar muito na comédia, que já vem surgindo nas produções da Marvel há algum tempo, o que acaba deixando o roteiro um pouco fraco. Além disso, alguns personagens acabam perdendo sua essência, como Hela, que poderia ter aparecido muito mais, já que Cate fez um trabalho maravilhoso e Hulk, que é mostrado como um herói bobo, também quando está na pele de Banner. Ainda assim, é um excelente filme que traz mais conexões com o universo da Marvel.

1

Black Friday na Amazon

Hoje é dia de Black Friday!!!

Um dos sites que mais gostamos para comprar nessa data é a Amazon, pois lá da para achar um pouco de tudo, tem muitas opções de livros, que já até deixamos uma listinha aqui no blog com algumas indicações, tem opção de eletrônicos, coisas de casa e outras variedades. Então vamos listar aqui algumas coisas do site que valem a pena para comprar na Black Friday!

Listinha de Desejos Black Friday Amazon

 

Muitas vezes acabamos comprando livros pela capa e esse box quer provocar exatamente isso, mas com um toque nostálgico de clássicos, com alguns que foram adaptados para livros e séries da nossa infância e dos dias atuais. The Puffin in Bloon Collection é um box em inglês que traz Anne of Green Gables, Heidi, Little Women, e A Little Princess, com todas as capas ilustradas por Anna Bond. Simplesmente encantador, né?

 

 

 

Lâmpada de filamento led para a decoração de casa. Com essa lâmpada da para deixar o ambiente super moderno e descolado.

 

 

 

 

Claro que não poderia faltar Harry Potter na listinha, né? A Black Friday é ideal pra comprar aquele box de livros que são desejo e essa edição Premium exclusiva da Amazon vem com todos os volumes da série e é simplesmente maravilhosa, com capas e ilustrações novas, além de um marca páginas especial.

 

 

 

 

 

Impressora HP para o home office. As vezes imprimir algum documento ou algo do tipo se torna uma necessidade, principalmente para quem faz home office, então é uma ótima opção para comprar com desconto, pois geralmente esse tipo de equipamento é bem caro.

 

 

 

Agatha Christie fez muita gente se apaixonar pelo gênero literário do crime, inclusive nós duas. Recentemente, ela ganhou 8 boxes com edições especiais de suas principais obras. São 3 livros em cada box que nos levam aos mistérios fascinantes do mundo da escritora.

 

 

 

 

 

Caixa de som para ouvir aquela música favorita bem alto! Esse eletrônico é item obrigatório para casa, para fazer aquela reunião em casa com os amigos e deixar o clima mais agradável com uma playlist personalizada.

 

 

 

 

 

 

Orgulho e Preconceito, Razão e Sentimento e Emma, são 3 romances lindíssimos da renomada Jane Austen e que estão reunidos nesse box especial. Austen é uma das escritoras cujo as obras mais vezes foram adaptadas para o cinema e a TV, sempre com personagens fortes e histórias marcantes.

 

 

 

 

 

 

Instax 8 mini com pack de 10 filmes. Essa câmera instantânea é desejo de muita gente e é ótima para registrar momentos únicos na hora e usar as fotinhos como desejar, pra presentear, pra usar na decoração e pra guardar com carinho com um ar todo retrô.

 

 

 

 

 

Gostaram das nossas dicas? Se tiverem mais sugestões de produtinhos legais que estão com precinhos especiais nesta Black Friday, contem pra gente nos comentários e não deixem de aproveitar as promoções incríveis desta sexta clicando na imagem abaixo: 

 

0

Livros: Mais opções para a Black Friday

Não somos um blog 100% literário, mas a Black Friday costuma ser uma perdição para os amantes de livros. Então, aproveitando esse climinha e que a Black Friday é nesta sexta, também fiz uma listinha com os livros que tenho a intenção de comprar. Quase todos são livros fofos, com bastante ilustrações ou colecionáveis, daqueles pra guardar em uma sessão especial na estante e vocês vão entender o motivo ao final da lista.

Eu escolhi 5 livros em inglês e 2 em português:

COMPRAS LITERÁRIAS NA BLACK FRIDAY

Secrets for the Mad: Obsessions, Confessions and Life Lessons

O livro da jovem cantora, compositora e uma das maiores YouTubers do Reino Unido, Dodie Clark fala sobre seus medos e temores de uma forma super sensível e essa sensibilidade é representada da melhor maneira pelas ilustrações fofas e delicadas que podemos acompanhar pelas páginas. Eu gostei muito pelo fato de a Dodie ser super novinha e já ter passado por tantos momentos caóticos em sua vida e conseguiu ser forte e compartilhar tudo isso com a gente. Me identifico.

 

 

The Little Book of Life Hacks 

The Little Book of Life Hacks: How to Make Your Life Happier, Healthier, and More Beautiful é o nome completo desse livro, que na verdade é um guia pra melhorar nosso dia a dia. Não tem jeito, quando nos tornamos adultos nossos gostos e prioridades mudam e as tarefas domésticas passam a ocupar um boa parte do nosso tempo, então por quê não tornar esses momentos mais divertidos? Escolhi esse livro justamente por isso e, claro, pelas ilustração maravilhosas da Yumi Sakugawa.

 

 

 

Soppy: A Love Story

Esse é um HQ super fofo que está na minha lista há muito tempo e eu decidi comprar dessa vez. A autora e ilustradora Philippa Rice traz detalhes pequenos do amor verdadeiro, que quase nos passam despercebidos. Apesar de parecer um pouquinho brega ou clichê, muitas pessoas que dividem o dia a dia com a pessoa amada acabam se identificando com as historinhas, inclusive eu. Sério, muitas situações presentes no livro são iguaizinhas as que acontecem no meu relacionamento e que acredito que tornam tudo mais gostoso.

 

 

The Sun and Her Flowers

No começo do ano eu li o livro mais comentado do momento, “Outros Jeitos de Usar a Boca” e me encantei com o trabalho da Rupi Kaur e com o seu jeito de expressar a dor e os sentimentos dela e dos outros com palavras e ilustrações marcantes. Quando vi que ela havia lançado The Sun and Her Flowers, eu logo coloquei na minha wishlist literária. O livro é dividido em 5 capítulos e também é intenso, falando de assuntos como ancestralidade e auto descoberta.

 

 

 

Coraline

Esse livro já é um clássico! Eu me lembro que peguei emprestado na biblioteca que eu frequentava em 2005 e me encantei demais com a leitura, pois é exatamente o tipo de história que eu gosto, terror e fantasia. Também foi o meu despertar para o mundo maravilhoso das obras de Neil Gaiman que se tornou um dos meus autores preferidos. O livro conta a história de Coraline, uma menina que se mudou com a família para um novo apartamento, perto de uma floresta. Seus pais estão sempre muito ocupados e, sentindo-se isolada, a garotinha cria um universo paralelo meio sinistro que se mistura com a vida real. Em 2009, o livro ganhou uma adaptação para o cinema, em forma de animação, que é muito boa, por sinal.

 

Estranherismo

Um livro de poesias que me conquistou pela capa e ela representa exatamente toda a sensibilidade que o autor paulistano, Zack Magiezi usa para descrever dores, medos, amores e outros sentimentos profundos. Suas poesias foram publicadas originalmente em seu perfil no Instagram e fizeram tanto sucesso que se materializaram nas páginas de Estranherismo.

 

 

A Pequena Pianista 

Eu me apaixonei pelo título desse livro e pela introdução. A Pequena Pianista, de Jane Hawking, conta a história de Ruth, que nasceu no fim da Segunda Guerra Mundial. Observadora e sonhadora, a menina vê o tempo passando rápido e se apega às lembranças dos momentos em que passava na casa dos avós, quando tudo parecia mais tranquilo. À medida que vai crescendo, Ruth descobre a paixão e vocação pelo piano e parte em busca do sonho de se tornar uma pianista reconhecida, ao mesmo tempo em que começa a descobrir segredos de sua família.

 

 

Kindle

Pra fechar essa listinha de sugestões para a Black Friday eu escolhi o Kindle, que é um sonho de consumo já antigo. Eu sempre fiquei entre o prazer de ter os livros físicos para folhear, sentir aquele cheirinho de livro novo, sentir as texturas das capas, do papel, das fontes e a praticidade de ter milhares de livros armazenados digitalmente em um único lugar. Depois de pensar muito eu resolvi tentar comprar um Kindle para ter os livros com histórias mais complexas, muito conteúdo escrito e sem ilustrações, que são os que estou mais acostumada a ler.

Ainda vou continuar comprando livros físicos, mas numa proporção bem menor. Somente os fofos, com ilustrações diferentes, HQs, as edições colecionáveis e qualquer exemplar que me desperte um quentinho no coração.

Eu escolhi a versão Papperwhite, que tem iluminação embutida, pra que eu possa ler no claro ou no escuro e também com Wi-Fi tela sensível ao toque. Pesquisei bastante e achei um investimento muito interessante.

E é isso, essa foi a minha listinha de opções para esta Black Friday, lembrando que durante toda esta semana a Amazon está com descontos progressivos nas compras de livros importados:

 

0

Livros: Lista de Livros para Black Friday

A Black Friday está chegando e os livros são um dos produtos que mais tem desconto, pelo menos aqui no Brasil, então resolvi fazer uma listinha de alguns títulos que eu gosto e pretendo comprar e vou compartilhar com vocês também.

Lista Black Friday

 

 

Everyone’s a Aliebn When Ur a Aliebn Too

Esse livro super fofo é sobre um alienígena chamado Jomny Sun, ele veio para a Terra com a missão de estudar os humanos. Então ele começa a conhecer pessoas e fazer amizades, com isso ele aprende melhor sobre como aceitar a si mesmo e aos outros, além de outras questões da vida.

 

 

 

 

A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro

Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público.

 

 

 

 

The Emotionary: Um Dicionário de Palavras que não Existem para Sentimentos que Existem

Um livro que junta sentimentos com palavras, traduzindo o que jamais foi interpretado em dicionários comuns. Uma divertida leitura com ilustrações e situações familiares expressas de forma totalmente diferente.

 

 

 A (R)Evolução das Mulheres

Alex é uma menina forte e quer vingar sua irmã, por isso decide atacar qualquer predador sexual que cruzar seu caminho.  Mas o que aconteceu na noite do assassinato chama a atenção de Jack Fisher, o cara invejado por todos: atleta perfeito, que desfila de braço dado com a garota mais cobiçada. Ele deseja conhecer Alex profundamente. E, numa cidade pequena, onde todo mundo se conhece, esse repentino interesse vai desencadear uma série de crimes bárbaros. Uma narrativa vibrante com cenas de grande impacto, “A (r)evolução das mulheres” é uma dura reflexão sobre os abusos e estereótipos que tiram a humanidade das mulheres. Mindy McGinnis mostra que as agressões perseguem a vida não só das vítimas, mas também daqueles que estão próximos a elas.

 

 

The Chaos of Longing

Uma coleção de poemas que explora assuntos como traumas, doenças metais, amor, coração partido e outros. O livro é dividido em quatro seções, Início, em que é examinado o começo dos anos em  que é feita a formação amorosa, Anseio, que contém reflexões sobre amor e sexualidade, Caos, que aborda as relações toxicas que partem os corações e Epifania, em que depois do caos vem o amor próprio e a cura.

 

 

Vidas Muito Boas

“Como podemos aproveitar o fracasso?” “Como podemos usar nossa imaginação para melhorar a nós e os outros?”. J.K. Rowling responde essas e outras perguntas provocadoras em Vidas Muito Boas, versão em livro do famoso discurso de paraninfa da autora da série Harry Potter na Universidade de Harvard. Baseado em histórias de seus próprios anos como estudante universitária, a autora aborda algumas das mais importantes questões da vida com perspicácia, seriedade e força emocional.
Essas foram minhas escolhas de livros, e vocês já fizeram sua listinha para a Black Friday??? Então não perca tempo e se programe!
Para comprar livros com o melhor desconto basta clicar no banner da Amazon aqui em baixo:
0

Anime: Sakura Card Captors Volta em 2018!

O anime Sakura Card Captors foi sucesso total aqui no Brasil nos anos 2000 e esse ano, foi anunciado no site oficial do anime que nossa amada Sakura estará de volta ano que vêm, já com data marcada, 07 de Janeiro de 2018!

Vamos refrescar um pouco a memória e relembrar algumas coisas de Sakura Card Captors! O anime é do grupo Clamp (amo os traços deles <3) e foi exibido no Cartoon Network em 2000. Ele conta a história de Sakura Kinomoto, uma estudante de 10 anos que acidentalmente liberta o poder das cartas mágicas, conhecidas como Cartas Clow, e junto com o guardião dessas cartas, Kerberos, ela tem o trabalho de recuperar cada uma das cartas e selar para que o poder liberado seja guardado.

Sakura conta com a ajuda de sua melhor amiga Tomoyo, que é a responsável pelo figurinos mais lindos que Sakura usa durante o anime, e de Syaoran Li, um rival que se torna amigo e acabam tendo uma relação de amor e ódio, típico de jovens apaixonados, mas que tem medo de assumir seus sentimentos.

Além desses personagens, tem o melhor amigo do irmão de Sakura, Yukito, que na verdade não é um ser humano comum, ele é outro guardião das Cartas Clow, mas para Sakura é sua primeira paixão e o responsável pela frase mais marcante do anime “Ai Ai Ai Yukito!”. No decorrer da história outro personagem importante aparece, Eriol, que é a reencarnação do Mago Clow, chega para ajudar Sakura transformas todas as cartas Clow em cartas Sakura, mas também confunde os sentimentos dela.

Além da série, também tiveram 2 filmes e agora o anime volta com uma nova temporada, Sakura Card Captors : Prólogo do Arco da Carta Transparente – Sakura e os Dois Ursos (Cardcaptor Sakura Clear Card-hen Prologue: Sakura to Futatsu no Kuma). Esse nova história irá se passar logo após o confronto com Eriol e já tem o teaser para gente conferir!

Muita nostalgia escrever sobre esse anime que é um dos meus favoritos! Estão para finalizar esse post super especial, vou deixar a famosa frase mágica que a Sakura usa no anime:

“Chave que guarda o poder da minha estrela!

Mostre seus verdadeiros poderes sobre nós,

e ofereça à essa valente Sakura que aceitou esta missão!

Liberte-se!”

0

Livro: Só os Animais Salvam

O Livro “Só os Animais Salvam” da escritora Ceridwen Dovey e editora DarkSide Books me conquistou já pelo título, fiquei super curiosa para saber do que se tratava e então fui surpreendida pelo valor que cada história, que contém no livro, nos transmite. O livro é composto de vários contos, um de cada animal, mas não pense que vão ler histórias de amor e com final feliz, pois as histórias servem para nós, humanos, refletirmos um pouco sobre os nossos atos ao longo do tempo e seus impactos, na perspectiva de um bichinho.

Todos os animais do livro estão em uma situação ou época de guerra, e como sabemos, essa situação não é boa para ninguém, então imagine para um ser inocente, como é visto esse cenário e suas consequências. Cada história nos faz refletir sobre o impacto que causamos na vida dos animais e no meio ambiente, como tivemos e ainda temos ações egoístas, visando apenas nós mesmos.

A narrativa é toda na visão do personagem principal, que no caso é sempre um animalzinho, mostra os sentimentos, a relação com seus humanos, as dúvidas e até mesmo o abandono. Mas calma, o livro é sim reflexivo, mas não é tão pesado como essas palavras que disse a pouco, ele é mais sútil e delicado, com o objetivo de nos fazer pensar e não chorar.

Uma das histórias é contada por uma gata, que já viveu bem ao lado de sua dona, mas foi deixada para trás e acabou vivendo perto das trincheiras de guerra. Ela mostra sua visão e pensamentos, acredita que sua dona irá voltar, vive a insegurança da guerra e assiste de perto todo o terror desse cenário criado pelos humanos.

Imagine ser o cachorro do braço direito de Hitler? Estar em meio ao caos não é nada fácil, ainda mais sem entender o que está acontecendo, como qualquer cachorro, a maior preocupação é agradar seu dono e estar ao lado dele. Porém, o cachorro da narrativa, além de ter sido abandonado sem entender o motivo, busca uma evolução espiritual, é vegetariano e preocupado com sua alma, sem entender o cenário em que vive, ele acaba sendo usado como uma arma de guerra.

Além dessas duas histórias, temos também a visão do camelo, do chimpanzé, mexilhão, tartaruga, elefante, urso, golfinho e papagaio, todos contando a forma que enxergam sua realidade e as consequências das ações dos humanos. Apesar de estarem no meio do caos, todos tem uma visão inocente e esperançosa da realidade, uma pureza que se torna a beleza do livro.

Tenho duas cachorras em casa que eu amo muito e são a minha vida, além disso sou vegetariana, então foi um livro que me ajudou a refletir mais ainda sobre as minhas ações, acho que quem tem essa conexão com os animais vai amar o livro e mesmo quem não tem, vai perceber a vida de uma forma diferente e repensar muitas coisas. Não é apenas a guerra que causa impactos sobre os seres vivo, cada atitude nossa tem uma consequência e devemos nos perguntar sempre, como deixar o mundo um lugar melhor para todos.

 

0

Séries: 3 séries da Netflix e o estilo dos anos 80

Eu sou fanática pelos anos 80 e por todas as produções da época, até fiz um post com os filmes que mais gosto da década.

Uma outra coisa que gosto muito é o visual das pessoas nos anos 80. As roupas tinham estilo variado e traziam ombreiras, cintura alta, drapeados, calças legging, muitas cores, brilho e saia bufantes. Gosto muito da moda “yuppie”, super em alta hoje em dia. Foi uma época em que as mulheres partiram em busca de igualdade de emprego em relação aos homens e os tailleurs refletiam todo esse “girl power”. Muito gel, volume e topetes faziam os penteados da vez e a maquiagem era bem colorida. Os acessórios como óculos Ray Ban, brincões e polainas eram mais do que ícones.

Pensando nisso, eu resolvi trazer algumas séries atuais que se passam em algum momento dos anos 80 e, logo, retratam um pouco da moda daquela época tão maravilhosa:

STRANGER THINGS 

Quem já não está sentindo saudades de acompanhar as crianças mais fofas da Netflix defendendo o mundo dos perigos do mundo mundo invertido? Além de nos trazer várias lembranças dignas dos filmes da Sessão da Tarde, Stranger Things traz muito da moda da época, principalmente entre os adolescentes.

As calças de cintura alta, camisas xadrez e de gola alta, cabelo ondulado curtinho e óculos grandes marcaram o visual de Barb.

Já Nancy faz o estilo mais urbano e romântico, com blusas de linho, uma jaqueta mais legal o que a outra e cabelos presos dos lado.

Os meninos também mostram bem como se vestiam na época. Steve arrasa com seu penteado feito com o laquê da Farrah Fawcett. O novato Billy traz todo o estilo “bad boy roqueiro” da época, com um corte de cabelo composto por um belo (sqn) mullet, anda quase sempre sem camisa ou com regata e camisa e usa um brinco como acessório.

As crianças também retratam bem como se vestiam nos anos 80, com muito moletom, bonés, tênis brancos, meias e camisetas listradas, vestidinhos bufantes e suéteres.

GLOW

A série que conta a história de uma atriz que participa de uma produção televisiva sobre luta livre feminina, traz o lado extravagante e fitness dos anos 80.

As roupas que sempre apareciam nos programas americanos de ginástica dos domingos de manhã tiveram presença marcada na série, principalmente entre o figurino que as atrizes usavam para lutar no programa.

A maquiagem aparece bem forte, colorida e marcante e os cabelos cheios de topetes, gel e laquê.

Fora do ringue, as roupas eram bem simples, e os penteados com um pouco de volume, figurino muito semelhante ao dos filmes Flash Dance e Dirty Dancing.

BLACK MIRROR: SAN JUNIPERO

A série que mais mexeu com a nossa cabeça nos últimos tempos, tem um episódio onde a maior parte do tempo se passa na década de 80 e traz bastante do estilo yuppie na personagem Yorkie, que veste bermuda de alfaiataria, jeans, óculos e usa um penteado mais comportado, assim como a moça, que tem um estilo bem parecido com o da Barb, de Stranger Things.

De outro lado, vemos muito volume, cor, brilho e acessórios, usados por Kelly, que transmite sua personalidade mais ousada e intensa.

Vocês também amam os anos 80 e todo o estilo da época? Me indiquem nos comentários mais séries que se passam na década, que eu vou amar conhecer.

0

Livro: Wytches

Outubro é um dos meus meses preferidos, não apenas por ser meu aniversário, celebração que eu nem gosto tanto assim mas, por ser comemorado o HALLOWEEN que, como comentei em outro post, é uma das comemorações do ano que mais gosto.

Mesmo aqui no Brasil, longe de toda aquela festança tradicional americana, eu sempre amei demais tudo o que vi em filmes, séries, pesquisei por ai e li em livros sobre o Halloween.

Todo mês de outubro eu me dedico a assistir a alguns filmes e ler alguns livros sobre o tema e este ano escolhi Wytches, a primeia HQ da Dark Side Books, para entrar no clima. Cheguei a comentar que comprei o livro na pré-venda, sem ler muito sobre e me surpreendi quando abri e vi uma HQ super bem elaborada, capa dura e ilustrações maravilhosas.

A história em quadrinhos fala sobre bruxas de uma perspectiva diferente e que não é uma das que mais me agrada, confesso. Nela, não temos o lado místico, da magia, nem nenhum tipo de lado bom das bruxas em questão. Elas são seres completamente diferentes!

Começamos acompanhando a história da família Rook, que se muda para Litchfield, em busca de uma nova vida, longe dos acontecimentos do passado. Sailor é uma jovem que enfrenta depressão e ansiedade, além de ter passado por um momento misterioso em sua vida que a fez ficar traumatizada e, mesmo mudando de cidade e de escola, Sail não consegue esquecer o que houve e sabe que a floresta que cerca sua cidade guarda mistérios perturbadores.

Apesar de tudo, a garota tem um relacionamento muito legal com seu pai, Charlie, mas nem sempre foi assim, nem sempre ele esteve lá por ela, por conta de problemas emocionais e alcoolismo. Agora Charlie se preocupa muito com a filha e é capaz de tudo para vê-la feliz e segura, mas não consegue compreender totalmente o que está se passando com Sail e tenta ajudá-la de todas as formas. A mãe de Sail, Lucy, sofreu um acidente que tirou sua capacidade de andar.

Algumas coisas bizarras começam a acontecer ao redor da família Rook, Sail se sente perseguida e é atacada por algo desconhecido durante a noite, algo que a marca e que determina seu destino. Enquanto isso, Charlie entra em momentos paranóicos e percebe que algo está acontecendo, mas não é levado a sério.

Um dia, após um episódio na escola, Sail foge dirigindo um ônibus escolar e se debanda para dentro da floresta. Os pais pensam que ela está desaparecida e chamam a polícia. Lucy parece conformada, mas Charlie sabe que há algo a mais nessa história e decide que precisa fazer alguma coisa para encontrar a filha, o que se torna decisivo após receber uma visita de uma mulher misteriosa durante uma noite.

As bruxas da floresta se alimentam de pessoas que foram juradas para morrer quando ainda eram crianças ou jovens e há uma legião de pessoas que são devotas a elas recebendo dádivas divinas, mas com um preço a ser pago, jurando outras pessoas. Para elas “JURA É JURA” e se alguém é jurado é impossível fugir de seu destino.

Além do terror apresentado por essas criaturas bizarras assuntos como insegurança, depressão e relacionamento entre pai e filha são abordados ao longo da história de Scott Snyder, com artes de Jock, Matt Hollingsworth e Clem Robins e consegue pretender a atenção do leitor de uma forma profunda, que surpreendeu minhas expectativas. Livros de terror  e HQ, principalmente, costumam ser difíceis de transmitir a essência, o suspense e o medo que o gênero pede, mas Wytches conseguiu fazer isso.

Apesar de não gostar tanto da forma como as bruxas são apresentadas, eu gostei muito da HQ, do formato da história e das ilustrações e, principalmente, as cores utilizadas. Outra coisa muito legal nesse volume são os materiais extras apresentado ao final, textos do escritor, mostrando como foi a ideia da criação da história e outros temas que encontramos nela, como a depressão da Sailor e seu relacionamento com o pai. Também são mostradas como foram feitas as ilustrações, as ferramentas utilizadas e os processos para se chagar às expressões que dão um clima ainda mais aterrorizante a tudo.

É uma ótima sugestão de leitura de terror e dizem por aí que haverá continuação!

Wytches

192 págs.
História em Quadrinhos
Terror
Editora: Darkside Books
Escritor: Scott Snyder
Arte: Jock, Matt Hollingsworth e Clem Robins
Tradução: Érico Assis
1ª edição
Comprar: AmazonLivraria CulturaSaraiva, Fnac

0

Halloween: Minhas bruxas preferidas do cinema

O Halloween está chegando e eu sempre amei muito a data e todas as comemorações que a envolvem. Além da festa americana com as fantasias, abóboras e etc, essa época tem base nas festas pagãs celtas, pelas quais eu sempre me interessei muito.

Para celebrar o Dia das Bruxas nós fizemos alguns posts especiais, porque realmente gostamos muito dessa época e eu vou começar falando sobre alguns filmes dentro do assunto que trouxeram para o cinema bruxas como personagens fortes e relevantes:

Sara, Nancy, Bonnie e Rochelle – Jovens Bruxas

Já falei sobre Jovens Bruxas em um outro post, então da pra notar que eu adoro mesmo, né? Ele realmente marcou minha adolescência e de muitas outras pessoas, tenho certeza! E esse grupo de amigas era meu sonho na época!

O filme é um longa de 1996 e conta a história de Sara (Robin Tunney), uma jovem adolescente que precisa mudar de cidade e, consequentemente, de escola, onde ela conhece outras 3 garotas, Nancy (Fairuza Balk), Bonnie (Neve Campbell) e Rochelle (Rachel True), das quais ela se aproxima e faz amizade. As garotas tem interesse pela magia e se aprofundam no assunto, assim, Sara descobre que tem uma espécie de magia natural em si. Juntas, elas formam um Coven (grupo de bruxos e bruxas), onde invocam os elementos e praticam a doutrina da magia. Tudo corre bem entre elas, até que decidem se envolver com magia pesada, o que faz com que conseigam várias coisas que desejam, porém, com consequências terríveis.

Ao notar que as coisas estavam saindo do controle, Sara decide se afastar das meninas, causando um forte desequilíbrio em suas vidas e no Coven e todas precisam passar por fortes momentos de tensão para tentar ajeitar as coisas.

O filme é uma ficção baseada na cultura da Wicca e traz bastante referências a esse mundo, com algumas adaptações. Também aborda dilemas da vida dos adolescentes como relacionamentos, aceitação e preconceito. Uma das coisas que mais gosto em Jovens Bruxas, além da história, é a forma como as meninas se vestiam na época (anos 90 <3).

Morgana e Viviene – As Brumas de Avalon

Apesar de narrar a história do Rei Arthur, nesse filme, os acontecimentos são relatados sob a perspectiva feminista e empoderada de Morgana e de outras sacerdotisas de Avalon, um lugar místico e secreto, onde surgiu a religião da Deusa. A história acontece em meio a guerra religiosa em Camelot, que tinha como objetivo unir cristãos e pagãos ou, caso contrário, eliminar ambos e, com isso, Avalon corria um sério risco de desaparecer.

No início, acompanhamos uma Morgana ainda criança, vivendo com sua mãe, Igraine (Caroline Goodall), que ainda era uma seguidora da antiga religião e praticava magia secretamente, enquanto seu pai, Gorlois (Clive Russell), lutava contra os saxões. As tias de Morgana também tem forte presença na história, Morgause (Joan Allen) é admiradora da magia e de Avalon, mas acabou não desenvolvendo tantos conhecimentos e prática no assunto e Viviane (Anjelica Huston) é a grã sacerdotisa de Avalon, que possui fortes poderes e muda o rumo das coisas quando prevê que o rei logo morrerá e que sua irmã, Igraine precisará gerar um novo líder, mas não com o marido e sim com um homem que possua o símbolo do dragão e seja seguidor da religião da Deusa. Apesar de ser contra, a mãe de Morgana acaba aceitando o seu destino em meio a manipulação da irmã, que alterou a linhagem para o surgimento de um rei que unisse tanto pagãos quanto cristãos e, assim, salvasse Avalon. Viviane pretende também transformar a sobrinha em sua sucessora e todos os seus atos impulsivos acabam gerando consequências na vida de todos, inclusive de Morgana.

O filme é de 2001 e foi desenvolvido especialmente para a televisão. Ele é baseado no livro de Marion Zimmer Bradley, que leva o mesmo nome, porém não é uma adaptação fiel, o roteiro foi bastante modificado e isso gerou muitas críticas negativas para o longa, mas eu gosto muito, por ser um filme medieval, pela história, que traz ao conhecimento das pessoas a religião da Deusa e pelas atrizes, que arrasam nas interpretações. As Brumas de Avalon não é necessariamente um filme de Halloween, mas acaba indo além disso, pois retrata acontecimentos anteriores que fizeram surgir a celebração.

Sally e Gillian Owens – Da Magia à Sedução

Esse também é um dos meus filmes preferidos dos anos 90 e um dos primeiros que me fez ter contato com o que é a prática da magia, me fazendo também me interessar pelo assunto e tudo isso de uma forma suave, engraçada e bonita, já que ele é uma comédia romântica baseada no romance de mesmo nome de Alice Hoffman, além de contar com um elenco maravilhoso.

O longa conta a história das irmãs Sally (Sandra Bullock) e Gillian (Nicole Kidman) Owens, duas jovens que são bruxas por tradição da família, mas que tem dificuldades de praticar magia nos tempos modernos e que precisam enfrentar uma maldição: todos os homens pelos quais elas se apaixonam ou tentam se relacionar, simplesmente morrem. A maldição foi lançada no passado, por Maria Owens, uma bruxa que foi exilada e condenada à execução, mas ainda tinha esperanças de que seu amor fosse resgatá-la, como isso não aconteceu, ela jogou o feitiço em si mesma, o que causou sua morte e fez com que todas as suas descendentes carregassem a maldição.

Após a morte dos pais, Sally e Gillian foram viver com as tias, que as ajudaram nas práticas de magia. Sally tenta levar uma vida mais normal e lança em si, um feitiço do amor verdadeiro para que possa se proteger e Gillian, mais impulsiva, decide se apaixonar. As irmãs fazem um juramento e seguem com suas vidas, Sally fica a cidade, se casa e constitui família, tendo duas filhas, mas a maldição acaba levando seu marido e Gillian vai para a Califórnia, onde inicia um relacionamento abusivo e acaba voltando para junto da irmã, mas seu namorado a persegue e ameaça a vida de ambas que, com isso, acabam cometendo um crime e usam magia para tentar consertar as coisas, mas acabam criando um perigo ainda maior. E então, surge Gary (Aidan Quinn), um policial que vem investigar o caso e que nota que as irmãs são pessoas diferentes e logo se encanta por Sally, que também acaba se apaixonando por ele. Gary é ferido e afastado, mas não chega a morrer e Sally entende que era ele a pessoa de seu feitiço do amor verdadeiro.

Para salvar a irmã, Sally recruta as mulheres da cidade que a ajudam a reverter a magia que fizeram antes e as colocaram em perigo e, com isso, formam uma espécie de Coven e quebram a maldição da família.

Elvira – Elvira a Rainha das Trevas

O filme de 88 já é mais do que um clássico e transformou Elvira em um ícone da Cultura Pop.

Elvira (Cassandra Peterson) não é uma bruxa comum, na verdade ela é uma apresentadora de um programa alternativo e de baixo orçamento sobre filmes de terror que descobre que herdou uma mansão e sua tia-avó, Morgana. Ela pensa em vender a velha mansão e se mudar para Las Vegas para se tornar uma estrela, mas acaba descobrindo fatos que podem mudar o rumo de tudo e uma outra herança, um livro de receitas que, na verdade, é um livro de feitiços que seu tio, Vicent Talbolt, quer roubar a qualquer custo.

Elvira é uma mulher linda, sedutora e independente, que usa roupas extravagantes, faz o que quer e é muito feliz, obrigada, mas ao ir para a pequena, tradicional e entediante cidade de Fallwell para receber sua herança, causa espanto em todos que não estão acostumados com o diferente e particular jeito da moça e a querem fora dali. Ao contrario dos cidadão mais conservadores da cidade, alguns jovens que não querem ser como seus pais, veem em Elvira uma chance de mudança e passam a idolatra-la e inicia-se um caos que acaba condenando a moça a fogueira, fazendo uma forte referência a inquisição.

Eu gosto muito da personagem, pela personalidade forte e por ela se manter quem é do início ao fim, independente da opinião e da reação das pessoas e o filme em si é muito interessante, apesar de objetificar a mulher para o espectador [o que fica ainda mais obvio nas cenas da dança e da quebra das correntes com os seios]. Ele traz reflexões plausíveis sobre o diferente e, principalmente, sobre as mulheres, que são e sempre foram, criticadas por usarem algum tipo de roupa que a sociedade julga ousada e por agirem de acordo com suas próprias vontades.

Talvez minha lista tenha sido meio surreal, rsrs, mas essas são as minhas bruxas preferidas do cinema. E vocês, também gostam de filmes que trazem bruxas como personagens principais? Qual é o preferido? Me contem nos comentários.

1